12 fevereiro 2015

E assim começou e minha história - O nascimento

A GRAVIDEZ
 
Ela era apenas mais uma grávida no índice de mulheres que não queriam ter o bebê por medo do que a família poderia pensar ou dizer. Mesmo já tendo quatro filhos ela se questionara se levar aquela gravidez adiante não seria difícil. Diferente das outras quatro gestações que ela teve, ela não sente alegria ao passar a mão na sua barriga, pois sente medo, medo que todos vão falar "como pode uma mulher casada engravidar de um homem que não é seu esposo?!" homem esse que sumiu no mundo e até hoje não deu notícias, a deixou com quatro filhos pequenos sem nem se importar se teriam o que comer ou que vestir, ainda bem que aquela pobre mulher ainda tinha sua sogra, que mesmo parecendo rabugenta era um amor de pessoa, não deixava faltar nada a seus pequenos e adoráveis netos. Zefar, Alfred, Veruska e Verônica. E tinha também Grace, sua patroa, que a ajudou muito com seus filhos.
 
Marie é uma mulher de garra, batalhadora, saiu da casa dos pais ainda cedo, fora trabalhar na casa do tio, ainda adolescente para poder estudar, lá se apaixonou pelo cunhado de seu tio, um rapaz bonito e esforçado, que fez questão de bancar seus estudos, não muito tarde engataram num romance às escondidas, não podendo mais esconder de todos tanta paixão resolveram se casar. Marie e Marcus estão casados esperando seu primeiro filho Zefar. Pouco tempo depois tiveram o segundo filho Alfred, com anseio de terem uma filha tentam mais uma vez e nasce Veruska, quando Marie estava esperando Verônica, a quarta filha do casal Marcus viaja a trabalha e nunca mais volta.
 
Marie já perdera as esperanças de ter seu amado esposo de volta, compadecido desse sentimento Luke um jovem sobrinho de Marcus se aproxima de Marie, e por ela se apaixona, não resistindo mais a tentação dessa avassaladora paixão, Marie se entrega para Luke, mas como quase todo romance impossível e fora de questão tem consequências Marie engravida de Luke, e se vê desesperada com o que todos vão pensar de tal pecado cometido. Decide então abortar esse bebê, mas para seu espanto não consegue, como se alguma força maior (Deus) impedisse que a morte dessa criança acontecesse, Marie se arrepende antes de seu pequeno bebê vir ao mundo.
-Vou ter nosso filho, ainda que você não queira, meu bebê vai nascer. - Fala Marie para Luke, que se despera ao saber que todos saberão que traíra seu próprio tio deitando com sua esposa.
Dito isso, Marie junta forças para encarar, sogra, cunhados e parentes. Sozinha naquela cidade longe de sua mãe, longe de seus irmãos, ela enfrenta tudo e a todos por essa gravidez, já sente um amor enorme por aquele pequeno bebê que ainda nem nasceu.
 
Como era de se esperar, todos a julgam, a chamam de pecadora e adúltera, de irresponsável, que isso não se faz, que não poderia jamais ter traído seu esposo, que deveria espera-lo, que estava deshonrado aquela família que a acolhera tão bem quando se casara com Marcus. Mesmo diante de tanta acusação Maire se mantém firme e leva sua gravidez adiante, já estava arrependida demais por ter tentando um aborto, o mínimo que faria era dar muito aquele ser que ainda crescia em seu ventre, e assim o fez.
 
Então, no natal de 1985, a pequena Lya veio ao mundo, trazendo muita alegria para a sua mãe, e mesmo quando todos ali em sua volta tinha julgado e crucificado sua mãe, a recebem de braços abertos, tias, primos, e até sua bisavó que era sogra de sua mãe a ama tanto quanto os outros netos, como pode uma mulher ser vó e bisavó de filhos da mesma mulher?! Ora, se Zefa era mãe de Marcus, e este era primo de Luke, só podia dá nisso, que confusão essa Marie fora se meter, mas foi assim que começou a história da pequena Lya.
 
Não contente em levar na barriga um filho fora do casamento, Marie mantém seu caso amoroso com Luke e novamente engravida, e todo o despero gerado pela gestação da pequena Lya cerca Marie novamente, e mais uma vez essa mulher tenta tirar de dentro de si um ser que não pertence a ela, é um anjinho enviado de Deus, e como fizera com Lya assim também Deus faz com esse bebê, o protege de tudo e de todos, e Marie reencontra aquela força animal que toda mãe tem de defender sua sua cria, e enfrenta tudo e a todos pra ter aquele bebê. Allan veio ao mundo no dia 30 de abril de 1987,
 
... Continua.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela participação e comentário!

Ocorreu um erro neste gadget